A falta de medicamentos tem afetado não só farmácias, mas hospitais e unidades públicas de saúde na maioria das cidades do País. O desabastecimento se dá pela ausência de matéria-prima para compor as substâncias e, também, a escassez de insumos para embalagem.

Em Porto Belo, a Secretaria Municipal de Saúde tem enfrentado desabastecimento, assim como boa parte das farmácias privadas da região.

Entre os medicamentos faltantes em Porto Belo estão todas as apresentações de amoxicilina, que está em falta no mercado e não há previsão de abastecimento, impossibilitando a compra. A Azitromicina líquida foi comprada pelo Município de Porto Belo em abril deste ano, mas também por falta no mercado não foi entregue até então, porém o comprimido não se encontra em falta. Foi constatado falta no laboratório do medicamento Benzilpenicilina, impossibilitando a entrega em Porto Belo, mesmo tendo sido comprado em janeiro deste ano. (*não sei se é interessante falar da benzilpenicilina ou talvez colocar que a que não temos é a de menos unidades, a com concentração maior nós estamos garantindo, chegamos até a pedir de estoque estratégico do ministério da saúde daí talvez seja interessante frisar que não estamos conseguindo comprar uma, mas estamos comprando da outra e diluindo para aplicar no paciente, eu sugeriria falar de outro que está tendo bastante procura: Foi constatada indisponibilidade no laboratório do medicamento Furosemida injetável, impossibilitando a entrega em Porto Belo, mesmo tendo sido comprado em fevereiro deste ano.

Há um desabastecimento no mercado de outros medicamentos, como dipirona, que em Porto Belo foi comprado em março e ainda não há previsão de entrega. Outro medicamento já comprado e que ainda não foi entregue é o ibuprofeno gotas infantil, comprado em janeiro e em março, em diferentes distribuidoras e ainda não foram entregues.
O principal responsável por esse desabastecimento é a falta de Insumo Farmacêutico Ativo (IFA), matéria prima de todo medicamento e a principal responsável pelo seu princípio ativo. Mais de 95% da IFA utilizada pela indústria farmacêutica são importadas e 68% vem da China.

O abastecimento de medicamentos é contínuo e faltas pontuais costumam ser repostas, por exemplo, foram entregues entre os dias oito e 22 de junho deste ano os medicamentos albendazol 40MG/ML Frasco de 10ML, ambroxol cloridrato 15MG/5ML Xarope infantil 120 ML e fluconazol 150MG.