Foto: Reprodução Instagram /Divulgação

Prefeitura prioriza assistência e apoio para garantir reintegração voluntária e acolhimento nas localidades de destino

Nos últimos 12 meses, Florianópolis providenciou mais de 670 passagens de retorno para indivíduos em situação de rua, visando sua reintegração às cidades de origem. A abordagem da Prefeitura da Capital é individualizada, envolvendo assistência e contato com familiares ou serviços sociais nos locais de destino, sempre dependendo do consentimento voluntário.

Maria, acompanhada de seu bebê, é uma entre as 100 pessoas que, somente em 2024, foram conduzidas de volta às suas cidades de origem pela iniciativa municipal. Ela veio de Porto Alegre após desavenças familiares, encontrando-se em situação de rua. Após assistência das equipes sociais municipais, mãe e filho foram hospedados em um hotel municipal antes de concordarem com o retorno. Na última quinta-feira (15), embarcaram em um ônibus, acompanhados pelo prefeito Topázio Neto.

“Alguns podem pensar que estamos apenas lidando com uma situação temporária, mas, na realidade, estamos evitando uma crise maior. Imagine se não tivéssemos facilitado essas mais de 670 reintegrações”, ressaltou o prefeito. Ele enfatizou que o objetivo não é simplesmente enviar pessoas de volta, mas assegurar que tenham acolhimento adequado em seus destinos: “Sempre que encaminhamos alguém de volta, é por vontade própria, e garantimos que haverá assistência aguardando-os no destino, para que isso não se torne um ciclo contínuo”.