Animais foram localizados em praias de Itapoá, São Francisco do Sul e Balneário Barra do Sul - PMP-BS /Reprodução /G7SC

Pinguins podem ter sido afetados pelo forte ciclone que atingiu a região

Em apenas três dias, mais de 300 pinguins foram encontrados mortos em praias do Litoral Norte de Santa Catarina, no início do último mês de setembro. A informação foi divulgada pela equipe de Resgate Marinho da Univille no último dia 27 de setembro.

De acordo com a publicação da equipe, ao menos 315 pinguins-de-magalhães foram encontrados sem vida nas praias de Itapoá, São Francisco do Sul e Barra do Sul, entre os dias 6 e 8 de setembro. Apenas no dia 8, 152 animais foram localizados pelos técnicos de campo.

Segundo o PMP-BS (Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos), de junho a setembro, as aves migram de suas colônias na Argentina, Ilhas Malvinas e Chile para águas brasileiras, em busca de alimento. Chamou a atenção do PMP o número elevado de encalhes de aves associado à passagem do ciclone extratropical no início do último mês pela região.

De acordo com o PMP, os pinguins juvenis foram os mais afetados. Inexperientes, os animais têm dificuldade de escapar das fortes ondas e ventos, já que respiram fora da água e acabam se afogando.

Ainda conforme o PMP, cerca de 95% dos pinguins encontrados estavam em avançado estágio de decomposição ou predação. “O aparecimento de carcaças nas praias é maior durante a ocorrência de ciclones em função dos ventos do oceano em direção a terra”, explica a coordenadora local do PMP-BS/Univille, Jenyffer Vierheller.

“Em geral, esses animais morrem em alto mar e acabam encalhando, dias depois, nas praias já em decomposição avançada e com indícios da ação dos necrófagos”, finaliza a especialista.

Convite Whatsapp jpeg 2

Fonte: ND+